Resultados do M-commerce no ano de 2014

O m-commerce (mobile commerce) está tendo um crescimento tão expressivo que novamente o relatório Webshoppers do e-bit disponibilizou um capítulo somente para ele. Neste foram apresentados os dados dos  m-consumidores como seu perfil, os motivadores de visita à loja, as categorias que mais geram vendas, entre outros.

Em janeiro de 2014 o volume de compras do m-commerce com a navegação via browser, sem a utilização de aplicativos (APPS), representava 4,8% das vendas no e-commerce. Em junho este número já estava em 7% e fechou o ano com 9,7%.

Diferentemente do resultado de vendas do e-commerce, através de computadores, e da venda através de mobile (smartphone e tablet) no primeiro semestre de 2014, a categoria mais vendida do m-commerce no ano passado não foi Moda e Acessórios. Cosméticos e Perfumaria/Cuidados Pessoais/Saúde ficou em primeiro lugar e Casa e Decoração, que no e-commerce está na 7ª posição em vendas, ficou em 4º.

M-commerce:

No E-commerce:

Quer saber mais sobre os resultados específicos do e-commerce? Veja o artigo: http://www.ideiamais.com.br/e-commerce-artigos/resultados-do-e-commerce-no-ano-de-2014/

Esta pesquisa também identificou as categorias que têm em seu volume de pedidos a maior participação de compras realizadas por smartphone e tablets em sites sem uso de APPs.

No m-commerce, o smartphone ultrapassou as transações de vendas dos tablets, sendo que este volume praticamente inverteu.

Esta mudança no comportamento de compra deve-se ao aumento significativo das vendas de smartphones.  Um estudo realizado pelo IDC mostrou que no segundo trimestre de 2014 foram vendidos 13 milhões de smartphones, com crescimento de 22% comparado ao mesmo período de 2013. O IDC estimava vender 55 milhões de smartphones e 10 milhões de tablets neste ano que passou.

 

O perfil do consumidor que compra através do mobile praticamente se manteve em relação ao relatório do semestre anterior. As mulheres continuam sendo as maiores consumidoras através do m-commerce.

O relatório do e-bit traz também a comparação do perfil de classe social entre o m-commerce e o e-commerce. Neste dois meios, as classes A e B são as mais representativas, contudo no m-commerce ela representa mais de 60% dos consumidores. No e-commerce a diferença entre estes públicos está cada vez menor, sendo os consumidores das classes A e B com 49% e das classes C e D com 44%. A tendência do m-commerce também é de diminuir esta distância, visto que os smartphones e tablets e o uso da internet estão mais acessíveis.

 

Através da análise deste relatório fica claro que a venda pela internet através dos aparelhos móveis, como tablet e smartphone, ganha cada vez mais adeptos pela praticidade e mobilidade trazida ao cliente e as lojas virtuais precisam ter um site responsivo para este tipo de canal. Sua loja está preparada para isto?

 

No Comments Yet.

Leave a comment